crônica

SENTA E CHORA

6 de abril de 2016

Eu só preciso sentar e chorar. Porque eu resolvo os meus problemas quando eu choro, tudo se dissipa. O problema é tempo. Agora com essa crise da água, onde é que chora se não é no banho? No carro?

Ontem eu consegui chorar um pouco, depois que o Antônio caiu da cadeira com a testa no chão, chorei na frente de todo mundo. Mas não adiantou. Porque eu resolvo os meus problemas quando eu choro, mas eu preciso chorar muito. Sabe aquele choro com soluço? É difícil atingi-lo. Precisa de tempo.

E imagina você que nós chegamos no domingo, hoje é quarta, e eu tenho vinte e duas malas pra abrir, colocar no lugar, coisinha por coisinha. Mal decidimos qual quarto será de quem ainda. Se o Antônio dorme junto com a Teresa, se a babá dorme no quarto de empregada, se o banheiro com a banheira não devia ser das crianças e não nosso. E as caixas da Granero? CDs DVDs e Jogos. Eu nem lembrava que eu tinha isso. _ Guarda lá no depósito, Tercina, guarda lá no depósito. Eu nunca tive um apartamento com depósito. É tipo um vício.

A situação só não é mais difícil porque uma semana antes da gente chegar, a minha mãe se encarregou da mudança. Toda tralha guardada, caixas, móveis. Então nós temos sofá, e camas com lençóis limpos, e sabonetes Dove no banheiro, sem contar os copos e talheres e uma compra básica de pão e Coca-Cola, que é só o que a minha mãe come e toma.

Mas eu ainda tenho que comprar os legumes e frutas e verduras. E um escorredor de arroz, e mais alguns baldes, e os malditos rodos. “Vanessa, não esquece os rodos”. Já fui duas vezes no supermercado e esqueci os rodos. Também esqueci o moedor de pimenta do reino. Perdemos as caixas dos utensílios domésticos. Não sei se foi a Granero, ou se eu dei tudo pra Francisca, ou joguei tudo fora antes da gente se mudar. Só sei que estão fazendo uma falta filha da puta.  “Vanessa, não tem nenhum tappewear pra guardar comida”.

Anota, Tercina, anota.

Que ideia brilhante roubar a Tercina da ex-patroa. Depois de já ter mandando duas babás embora em três dias, imagina lidar com outra empregada? Enlouqueceria. Já estou louca. É muito difícil pra mim ser dona de casa. Ou será que é difícil pra qualquer pessoa? Ter que ter comida todos os dias, e produtos de limpeza, e dois bebês, e uma mudança. E a vida?

Senta e chora. E ainda, desde domingo o Antônio só come pão. E ontem ele caiu da cadeira com a testa no chão, aí eu chorei um pouquinho, mas não adiantou.

0
Vanessa Agricola

Autor

Vanessa Agricola Moo

Seu e-mail não será publicado.