crônica

O PULO DO CACHORRO

29 de outubro de 2016

Estive relendo sobre o cachorro. O cachorro do lado do Tolo latindo, e o Tolo segue em frente andando, e o Tolo se joga no abismo. O que estamos fazendo? Para onde estamos indo?

– Au!

O cachorro tenta avisar o Tolo, em vão. O Leap of Faith é dado bem lá do alto, com fé. Mas quando ele chega em Oz, não sabe. Não se lembra que teve fé. Nem se lembra como se chama. É um coitado em trajes de pijamas caído no meio da estrada.

No chão, um mago se aproxima.

– Bem vindo.

– Isso foi muito alto! Você viu isso? Eu pulei lá de cima! Meu deus que ideia foi essa…

O mago lhe estende a mão, o Tolo se levanta.

– Eu consigo andar! Eu estou vivo! Eu estou vivo?? Ou eu estou sonhando?

– O senhor está vivo.

– Eu estou vendo, eu estou vivo!!

– Au!

– Aquele cachorro também pulou???

– Que cachorro, senhor?

– Posso jurar que estou escutando um cachorro…

– O senhor deve estar cansado…

– Sim, cansado… cansado como num poema do Vinícius…

– Perdão?

– Porque falei isso? Quem é Vinícius?? Ai, eu bati minha cabeça, eu estou tão confuso…

– Está tudo bem, o senhor está vivo.

E deste jeito assustado o mago lhe dirá que está pronto para seguir seu caminho. Que sua trouxinha com uma moeda uma taça uma espada e um pedaço de pau é só o que ele vai precisar.

– Pra fazer o quê?

– Deve seguir em frente. Agora mesmo.

– Pra onde é que eu vou?

O mágico sumiu.

0
Vanessa Agricola

Autor

Vanessa Agricola Moo

Seu e-mail não será publicado.