crônica

PIXE OU NÃO PIXE?

2 de fevereiro de 2017


Eis a questão. Agora o cara posa de cortador de grama com capacete transparente! Bullying! O cara pintou de cinza o túnel da 23 de maio!

A gente acha que é fake news. – Foi o Kassab que fez isso!, hahaha, ai que susto, eu achei que tinham pintado o grafite da 23 de maio de novo.

Pois pintaram mesmo. Pintaram o grafite da 23 de maio de novo…”pixador vagabundo!”.

Ok, ninguém gosta de pixo, mas e o grafite da 23 de maio?

É sério que você não gostava do grafite da 23 de maio?

“Ah, mas eles pintaram esse porque estava velho”. Uhum. E eles vão recontratar os Gêmeos pra pintar de novo, de novo?

Não. RBM, Romuildo Braga Mendes, pixará as iniciais do seu nome, no túnel da 23 de maio. “Olha que coisa de mau gosto, é muito feio isso!”.

Mas é comum a pessoa ter um ego. Parece que nós somos um ego, até, somos um ego com duas pernas e dois braços e um coração que pulsa e que não quer ser um ego, mas é, não tem jeito de um ser humano não querer aparecer. E pixar RBM, foda-se, ninguém sabe quem é RBM, mas você leu, RBM, e Romuildo Braga Mendes conseguiu que você lesse as iniciais do seu nome.

Não é arte.

Arte é Clarice. Clarice não gostava de aparecer como RBM. Nem na frente da TV, se um dia der, um dia, assiste a única entrevista filmada de Clarice Lispector no Youtube, você vai entender o que é o oposto de querer aparecer, a vontade de sumir.

Mas Clarice também tinha um ego. Escondido, no meio da sua fumaça de histórias, Clarice, nua, com a saudade da mãe que ela sentia, Clarice exposta, com raiva, Clarice na carne, triste, Clarice resiliente, isso é que arte, aparecer no outro, fazer o outro sentir.

É coisa mais bonita que um RBM.

Mas os dois têm a ver com existir.

 

 

 

0
Vanessa Agricola

Autor

Vanessa Agricola Moo

Seu e-mail não será publicado.