crônica

DNA Fail

10 de setembro de 2017


Hoje meu primo, sangue do meu sangue, me contou que vai votar no Bolsonaro.

Somos primos que cuspiram caroços de melancia um no outro. Primos que pulamos no colchão d’água do quartinho da casa de Itacuruçá. Primos que comemos caranguejos fervidos vivos pela tia Beth.

Somos até parecidos fisicamente. Até nossos filhos, não sei, alguma coisa no formato das sobrancelhas e o os olhos bem abertos deve ser um gene que não é recessivo, como chama o gene?, dominante!, nossos genes dos olhos grandes dominaram os olhos pequenos dos nossos cônjuges e nossos filhos também têm esses olhos bem grandes.

Eu sei. Eu devia estar escutando uma música, o exercício era esse, escrever escutando uma música, mas hoje eu já escutei tanta música, a minha cabeça ficou cansada escutando meus discos (discos mesmo, passei álcool nos meus discos hoje), estou limpando meus discos já faz um tempo, passando pano, vendo se não tem traça, esses discos ficaram guardados num depósito molhado (não era nem úmido) por mais de um ano e meio.

Meus filhos se apaixonaram por um disco do Tim Maia da capa azul, só uma música, a Terapêutica do Grito. Eles não me deixam escutar mais nada enquanto eu limpo os meus discos: – Mamãe, coloca a música do guito. Eu falo/ Eu berro / Eu grito quando eu quero / Todo mundo gritando / Ahhhhhh!!!! É uma música perfeita para crianças…

Os dois fizeram uma zona com as filhas do meu primo. Antônio começou a brincar assim que elas chegaram, e olha que ele tem seu tempo, nós ficamos na varanda conversando, eu esperando ele me chamar pra alguma coisa, nada. Aí subi pra acordar a Teresa, ela já estava acordada brincando com as primas, – querem mais massinha?, nem me responderam. Quatro primos enraizados de segundo grau que nunca se viram.

Não é fofo?

Resolvemos pedir uma pizza, aí meu primo me disse que ia votar no Bolsonaro.

1
Vaca

Autor

Moo

Seu e-mail não será publicado.